Aplicação de Geotecnologias no setor de mineração

Recebemos hoje o pdf com a matéria publicada na edição anual da revista internacional Geospatial World, de janeiro/2014, que fala sobre o crescimento e a importância do uso de geotecnologias no setor de mineração.

ScreenShot368

Visando destacar o papel das tecnologias geoespaciais no crescimento da economia nos países pertencentes ao BRICS, a matéria, que conta com a opinião de Antonio Machado e Silva, diretor da AMS Kepler, evidencia a necessidade de absorção de serviços que utilizam sistemas de informações geográficas nas grandes empresas do setor de mineração.

Com o título Digging deep to development (Cavando fundo para o desenvolvimento) o artigo aponta dados sobre  a produção mineral global no agrupamento econômico atualmente composto pelos cinco países: Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul e mostra como a aplicação de tecnologias geoespaciais estão maximizando a produção e minimizando os custos. ScreenShot369

Com foco na observação da exploração mineral em áreas de preservação permanente e de preservação ambiental no Brasil, Antonio Machado e Silva destacou a importância de sistemas de análise espacial e do uso de imagens de satélite multiespectrais com alta resolução espacial que permitem, inclusive, agilizar a tomada de ações para mitigação antes que acidentes ambientais ocorram.

ScreenShot367

“A indústria de mineração tem muito a ganhar com o uso de geotecnologias. Elas podem e devem ser usadas desde a fase de pesquisa mineral, combinando o uso de sensores hiperespectrais aéreos e orbitais.
No início, é importante um trabalho de restituição plani-altimétrico da área a ser explorada. Durante a fase de exploração mineral, os levantamentos por LiDAR permitem saber com precisão o volume de terra trabalhado.
Tecnologias de análise hiperespectral, aliadas a processos de computação de alto desempenho, podem auxiliar no estudo de perfis de amostras obtidos em campo.
Os impactos ambientais da exploração mineral podem ser acompanhados por meio de imagens multiespectrais de satélites de alta resolução espacial.
Sistemas de análise espacial permitem observar as consequências da exploração mineral em áreas de preservação permanente (APP), ambiental (APA), entre outros. Permitem ainda simular cenários relativos a acidentes em barragens de dejetos, para definição de planos de contingenciamento. Isto agiliza a tomada de ações para mitigação antes que acidentes ambientais ocorram.
Técnicas de integração e fusão de dados de diferentes fontes e formatos são valiosas ferramentas para auxiliar as decisões relativas aos processos de exploração mineral. Bancos de dados espaciais, com atributos temporais, mantêm uma memória viva da área de exploração mineral, desde o início da processo até o fim da atividade exploratória.
As geotecnologias são importantes também para a logística relacionada à exploração mineral como, por exemplo, monitorar a faixa de domínio das ferrovias usadas para escoamento do minério.
Ao fim da vida útil de uma área de exploração mineral, as geotecnologias podem ser usadas para projetar a recuperação da área e a devolução dela à sociedade com nova finalidade”, explica.

A edição completa desta publicação, que circula em 140 países, já está disponível  AQUI!

 

Nosso muito obrigada à toda equipe da Geospatial Media & Communications, em especial à Renata Dias, pelo convite para participar desta edição.

 

 

 

 

Comments

Post a comment

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Email Us

Your message was successfully sent. Thank You!